De Luis Caldas, Elba Ramalho e Don King a Esperidião Amin

Havia parado de usar sandálias. Ninguém é obrigado, muito menos eu, a se deparar com pés de Frodo, assim sem mais nem menos, em plena luz do dia, sem o menor aviso prévio.
Entre uma ligação, um e-mail, o olhar da minha chefe, o questionamento da minha filha sobre o porquê de ela não poder aproveitar todos os eventos da Virada Cultural, encontrei uma forma de marcar um horário na manicure para dar um jeito na encrenca. No dia seguinte lá estava eu, com os benditos dentro d’água, conversando com uma colega na mesma situação.

Conversa de salão é aquela coisinha sem futuro “este esmalte é lindo; a chapinha mudou a minha vida; depilação… ai como dói”. Dói, mas dói muito mesmo, principalmente na região onde o Sol não bate. Eu já havia feito em três salões diferentes. Dá uma baita vergonha, portanto mudei os lugares, aliás, nem passo em frente. Coisa minha. Segundo a minha colega, lá naquele salão, tinha a famosa “Mãozinhas de Veludo”, disse que ela era ótima, que doía muito pouco, fez a maior propaganda. Fiquei toda empolgada e como eu estava sem depilar, por motivos de saúde, há vinte dias, estava aquele misto de Luis Caldas, Elba Ramalho e Don King. Com o peito estufado, toda cheia de razão, com voz firme, de fazer inveja à Ana Carolina, disse “Marque um horário para depilação completa”.

No dia “D”, acordei meio atordoada. Depilação traumatiza. Passei a ter lembranças das minhas experiências, mas tentava me confortar com o resultado final “Vale a pena, Alê. É rápido. Você já pariu. Toma vergonha. Pára de ser frouxa”.

Às 18h25, devidamente asseada, pois já basta a aparência ordinária da Dita, deitei na maca.
Olha gente, é horrível. Mesmo. Mesmo, mesmo. Tira a calcinha, levanta o vestido e faz de conta que nada esta acontecendo. Péssimo. A Mãozinhas de Veludo, com a maior cara de pau, disse “Relaxa. Você já não teve filho? Então, dói bem menos”. Vai para o inferno.

Lá vai a primeira leva de cera. Enquanto está quentinho é uma beleza. De repente, plaft. Senti que ela estava arrancando a minha alma. Dá minha testa começaram a brotar gotas de suor e senti minhas costas arrepiarem feito um gato assustado. Mantive o controle. Segurei o grito. Gemi baixinho. Afinal estava apenas começando.

Lá vai a segunda leva de cera. Senti um vazio e um ventinho onde eu jamais havia sentido. Dei uma olhada e Ela estava meia Luis Caldas, Elba Ramalho e Don King.
Pêlo Nela é o seguinte, eu não suporto, acho horrível, mas preciso pelo menos de um pouco para dar uma disfarça.

Em um sussurro sofrido, eu disse “Você tirou metade?”, ela respondeu “Ah, não era para tirar?”. Silêncio. Silêncio. Mais um pouco de silêncio. “Vou deixar um moicano”, disse a Mãozinhas de Veludo.

Moicano? Que diabos é isso? Por mil macacos da bunda rosada, como se faz um moicano com três pêlos?

Não respondi.

Plaft, plaft, plaft, plaft e a desgraçada não parava de falar. Falou do filho que está mimado, do marido que mima o filho, da sogra que é boazinha, do cunhado que é drogado, das fofocas do salão, das dívidas, do shopping, e eu já não sabia mais se o drogado gostava de uma boazinha, se a sogra era mimada, se o marido fazia fofocas no shopping, ou se o salão estava cheio de dívidas. Eu só sabia que estava doendo, que eu estava sofrendo, que o papel da maca tinha virado farelo de tanto suor, que a noção de tempo depende da situação de cada um e que aquela minha colega deve ter sido depilada pelo pessoal do Dops, para julgar a Mãozinhas de Veludo a grã-sacerdotisa da cera quente.

Pausa.

A Mãozinhas de Veludo jogou o pauzinho da cera fora, pegou um algodão com um óleo e começou a passar Nela. Suspirei de alívio. Com dificuldades levantei a cabeça para ver a situação. A situação era a seguinte: sete pêlos em cima e em baixo um cavanhaque que integraria, facilmente, a banda Los Hermanos.

Com o meu resto de dignidade, disse “Essa parte que restou é a que mais me incomoda, pode tirar, aproveita e arranca esses sete pêlos, está ridículo”.
Foi um Deus nos acuda. Foi frente e verso. Foi com pinça. Foi com vontade. Foi com maldade. Foi triste. Foi-se tudo. Tudo.

Às 19h30, deixei o salão, três quilos mais leve.

Anúncios

Sobre Alê Almeida

Alessandra Felix de Almeida
Esse post foi publicado em Pois é e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s