Um mais um é mais do que dois.

Grupo de Análise  Social

1.    Qual a contribuição da Internet nas campanhas políticas quanto à democracia?

 “A internet é o grande espaço da democracia contemporânea, direta e representativa. Por ser o espaço da liberdade, é onde se reúne o maior volume de conhecimento que a humanidade produziu. Não vejo como a gente possa tentar controlar o incontrolável, tentar restringir o irrestrito. Não é dado ao Congresso Nacional dispor sobre a extensão à Internet de restrições legais impostas à imprensa, gênero em que se incluem os rádios e as TVs”, disse Mercadante.[1] Juntemos a esta frase, outra da Declaração de Independência do Ciberespaço, de John Perry Barlow[2] “Os governos derivam seu justo poder a partir do consenso dos governados. Vocês não solicitaram ou receberam os nossos. Não convidamos vocês. Vocês não vêm do espaço cibernético, o novo lar da Mente.”

Todo e qualquer meio de comunicação, possibilitam a democracia e este, a Internet, ainda que segmentada, pois não é toda a população que tem acesso a ela é a manifestação da democratização da comunicação, um espaço teoricamente gratuito e que não determina a sua utilização no que se refere a quem, quando, como ou porque. Este espaço virtual aceita tudo e ele mesmo se regulamenta a partir de seus usuários. A política não faz a menor idéia de seus efeitos.

A história política de nosso país nos diz que os “velhos” políticos têm interesses pessoais em suas candidaturas, e estes, não sabem onde estão se envolvendo. Uma notícia, uma matéria ou uma declaração gera uma série de outras tantas e estas são cruzadas com outras, gerando uma infinidade de possibilidades de posicionamentos, considerações e interpretações consumidas principalmente pelos jovens, que são o nosso futuro.

Mercadante abordou o conceito da Internet, mas ela não tem um conceito, é um espaço em eterna construção, está em aberto, o que é contrário ao atual cenário político brasileiro. John Perry avisou que eles não foram convidados.

A utilização da Internet nas campanhas políticas passa a tratar, sem que os políticos saibam, a comunicação como um direito do cidadão, assim como a saúde, educação, segurança e finalmente o início do direito à democratização discussão política.

 


[1] http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI3977572-EI7896,00-Senado+derruba+restricoes+a+web+durante+eleicoes.html

 [2] John Perry Barlow é um fazendeiro de rebanho aposentado, um lírico do Grateful Dead e co-fundador da Eletronic Frontier Foundation (Fundação da Fronteira Eletrônica).

Anúncios

Sobre Alê Almeida

Alessandra Felix de Almeida
Esse post foi publicado em Pois é. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s