Respostas da prova de Português

Oi Gente,

Não lembro muito bem das perguntas, mas é mais ou menos o que segue abaixo.

Pergunta 1: Sobre a importância do domínio da língua, no que diz respeito à exclusão social.

Resposta (valia 1,5 e tirei 1,0): A língua completa o nosso ser comunicativo, é um código que além de transmitir mensagens, fala sobre nós, diz onde nascemos, nosso nível social e acadêmico, é capaz de dizer se somos tímidos e é possível até nos enamorarmos por uma boa conversa ou por um bom texto.
O não domínio da língua tem um valor maior do que o da exclusão social, tem um valor estacionário, um valor de solidão, diante da infinidade de possibilidades que é o mundo.
[notas da professora: circulou “ser comunicativo”, não sei o que ela quis dizer; também fez um círculo na palavra “onde”, também não sei quis dizer, talvez eu deveria ter escrito “aonde”, sei lá, se alguém souber, por favor, me diga]

Pergunta 2: Sobre quais os aspectos políticos e sociais contidos no texto de Boaventura (clique aqui para acessá-lo):

Resposta (valia 1,5 e tirei 1,0): Se o brio pode ser visto como uma questão política e social, é sobre ele que Boaventura fala. Esse brio encobre o medo do colonialismo inverso, que teria como meio o que dá cara e forma para uma nação: a Língua.
Talvez Portugal pudesse conviver com os “semis” apresentados no texto, pois poder-se-ia converter dados, apresentar justificativas políticas, financeiras, etc, para qualquer questão que colocasse em dúvida o que Portugal representa, mas sobre a língua, nada poderia ser feito, absolutamente nada. Com o brio ferido, “abrasileirariam-se”, finalmente.
[nota da professora: poderia não se ater tanto à questão do brio]

Pergunta 3: Sobre a relação do Estado com a Língua (também com base no texto de Boaventura):

Resposta (valia 1,5 e tirei 1,5): A língua, como grande parte da identidade de uma nação e importante ferramenta de comunicação, portanto qualidades inegavelmente sociais, está intimamente relacionada com o Estado, pois este emana do povo, e é o povo quem utilizada a língua.
O texto defende que “a língua portuguesa deve ser deixada em paz, entregue à diversidade”. É bonito no primeiro momento, mas cabe aqui uma pequena reflexão. Se deixássemos a língua portuguesa entregue, esta prova estaria cheia de “vc”, “pq”, “tb” e uma infinidade de uniões de consoantes e demais caracteres dos quais eu não sei o significado.
Assim, o Estado se relaciona com a língua, no que diz respeito à determinação e oficialização de regras ortográficas e gramaticais, para que as pessoas se entendam, para que falem, ouçam, leiam e escrevam a mesma língua.
[nota da professora: bom]

Anúncios

Sobre Alê Almeida

Alessandra Felix de Almeida
Esse post foi publicado em FESP. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s