Meu intestino está constipado.

Ele parou. Perdeu a feição e não proseia. Coitado. Tenho contabilizado o que como: “Onde foram parar aqueles pedaços de pizza? E a feijoada, onde está? Os pãezinhos do café da manhã, por onde andam?”

Acho que junto com tudo o que eu como estão os gritos que não emito quando estou no ponto de ônibus na Pça. da República, às 22h45, aqueles, os primos dos que ficam no ponto de ônibus perto da minha casa, após às 23h15. Quando vou ao mercado e trago três sacolas por R$ 100,00, também tenho vontade de gritar, mas são gritos menos intensos do que aqueles de quando vejo aquela senhora toda vaidosa que dorme na Rua Major Sertório.

Ontem tive vontade de gritar quando soube que minha vizinha foi esfaqueada e espancada pelo marido e as outras vizinhas acham que ela se auto-esfaqueou e se auto-espancou. Também tenho vontade de gritar quando passo na rua de baixo e vejo o bom e velho ponto de drogas, por onde a polícia passa diariamente e nada faz.

O que eu tenho comido está junto com uma série de coisas que não consigo colocar para fora.

Tem sido um ano constipado (meu último post foi em 28/01/2011). As aulas da faculdade têm “pegado” na minha alma, mudei de emprego e agora finalmente entendi o que é mais-valia, minha filha fez dezoito anos e não pára em casa, minha enteada disse que tem saudades do tempo em que nos divertíamos, estou quase enrolando bobes nas minhas sobrancelhas, minhas unhas dos pés estão encravadas, os pêlos das minhas pernas mais parecem cabelos. Estou uma graça. Os motoboys da Rua Líbero Badaró nem tomam conhecimento da minha existência. Bom, tirando a questão do meu intestino, ainda tenho saúde.

Hoje fiquei sabendo que tem alguém utilizando os textos deste blog como se fossem dele. Cá pra nós: senti uma pontinha de inveja. Essa pessoa não deve ter o intestino constipado. Deve fazer b*sta em todos os lugares, no restaurante, no boteco, na casa dos amigos, até na casa da(o) namorada(o) nova(o) e de porta aberta.

Beijo, abraço e aperto de mão.

Alê

Anúncios

Sobre Alê Almeida

Alessandra Felix de Almeida
Esse post foi publicado em Pois é. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Meu intestino está constipado.

  1. Kuka disse:

    Alê, amei – amei – o seu post! =:o) O meu proseia. Aliás, não só proseia como, lendo o seu post, acabei de passar o menino para a categoria de herói: eu, infelizmente, também, tenho vários – vários – gritos que não dou – ou, melhor dizendo, que prefiro não dar na escola. Fora, dou: é que mamãe ensinou que se eu tenho razão é para gritar, e que se não tenho é para pedir desculpas. Fica aqui a minha solidariedade quanto ao copy and paste – tão usual nesse mundo pós-moderno – mas que está no meu Top 10 de gritos – gritos, aliás, não compreendidos ou mal compreendidos. C’est la vie: devo ser de outro planeta, próximo ao seu.

  2. Fantástico! Sou da FESP, do primeiro ano e a Kuka me indicou o blog… Estávamos conversando sobre gritos hoje, meu problema é o estomago! haha
    Mas seu texto flui, e descrevi tudo com tanta leveza que o conteúdo nem dói no pensamento. A reflexão dói. Eu quero gritar, mas aonde?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s